Boliviana tem bens bloqueados após levar calote de Brasileiro

sandy1Não vamos divulgar o nome do caloteiro vamos chama ele de Brasileiro: O Brasileiro fez mais uma vítima de seus calotes, desta vez trata-se de uma mulher de nacionalidade Boliviana e casada com Brasileiro, ela que foi avalista de um outro Brasileiro, que se dizia Policial Civil no Brasil, para que ele fizesse dois empréstimos em dois Bancos diferentes na Bolívia em seu nome.

A boliviana conta que o Brasileiro era seu cliente há um ano e meio, uma vez que a mesma é contadora e possui um escritório de contabilidade na Rua 9 de Febrero, na galeria Shopping Cobija no Centro ao lado da rádio Jovem Pan (rádio esta em que o Brasileiro comprou e depois não pagou, resultando em sua expulsão do local e desapropriação pela Justiça Boliviana).

A contadora conta que as coisas aconteceram da seguinte maneira: O Brasileiro, como era seu cliente há um ano e meio e lá dizia que era Policial Civil conseguiu enganar a todos. No ano de 2016 conversou com a boliviana para que ela fosse sua avalista de seu primeiro empréstimo que foi no valor de 7 mil dólares no “Banco Sol” e a mesma concordou, já que ele havia se comprometido em pagar cada centavo da conta que estava fazendo em nome dela.

Logo em seguida, o Brasileiro conversou novamente com a contadora pedindo que ela fosse sua avalista mais uma vez, pois o mesmo pretendia fazer o segundo empréstimo desta vez no valor de 10 mil dólares, a boliviana além de ter aceitado mais uma vez, se deixou levar pela conversa fiada do Brasileiro, teve que colocar seu terreno como garantia, já que era uma exigência do “Banco FIE S.A” segundo Banco que aprovou o crédito para o empréstimo.

Após todas as transações feitas nos dois Bancos, e o Brasileiro ter pegado o dinheiro, veio às cobranças, onde está sendo descontadas do salário da boliviana as parcelas de somente um dos bancos sendo ele “Banco Sol”.

Já o “Banco FIE S.A” além de ter demitido o funcionário que aprovou o crédito para o empréstimo do Brasileiro, bloqueou o terreno da mulher que foi colocado como garantia no empréstimo de 10 mil dólares, vendo que o Brasileiro havia sumido e estava agindo de má fé com ela, a boliviana decidiu ir até a residência do Brasileiro próximo a escola K.J.K em Brasileia para falar sobre a problemática, mas segundo ela ao chegar à casa do Brasileiro foi agredida verbalmente pela esposa do caloteiro.

A contadora, em entrevista a nossa redação se emocionou ao falar do assunto, pois alega que nunca pensou em passar por uma situação dessas “O Brasileiro é um mentiroso, oportunista e caloteiro que se aproveitou da minha confiança para me prejudicar, eu estou sendo notificada direta pelos bancos querendo pegar meu terreno porque ele não cumpriu com a palavra dele, onde eu moro alaga e eu comprei esse terreno para construir uma casa, mas agora não tem como”, disse ela.

A mesma conta ainda que o Brasileiro também já foi notificado por diversas vezes e alega que não tem como pagar a dívida que contraiu em seu nome. “Ele só fez o mal para aquelas pessoas que quiseram ajudar ele o funcionário do Banco “FIE S.A.” foi demitido por culpa do Brasileiro eu estou sendo lesada por culpa do Brasileiro também”, indagou a mesma.

Além da dívida dos empréstimos nos Bancos, o Brasileiro ainda deve 3.200 bolivianos (equivalente a 1.600 reais) em serviços de contabilidade feitos na empresa que ele abriu no país vizinho sem contar nos 7 mil dólares equivalente a 49 mil bolivianos (24.500 reais) e mais os 10 mil dólares equivalentes a 70 mil bolivianos (40 mil reais), ao todo a divida de empréstimos que a boliviana está devendo chega aproximadamente a 119 mil bolivianos que segundo ela seria culpa do Brasileiro.

A contadora afirmou que contratou dois advogados um em Brasileia e outro na Bolívia, já que seu esposo é Brasileiro para fazer com que o Brasileiro assuma essa conta que é dele e segundo ela, “ele vai ter que pagar, pois apesar de não ser policial civil ele é funcionário público então que seja descontado do salário dele e não do meu”, disse a mesma.

Fique de olho, a próxima matéria será sobre umas portas de vidro comprada em nome de uma igreja, a redação já fez uma entrevista com o pastor da igreja.

Compartir